domingo, 30 de maio de 2010

a velha ultraviolenta realidade



As vezes eu entendo porque me tornei tão fria, talves ainda sinta saudade daquele velho amor, eu não procuro lembrar, mas vem a tona, e isso é um sentimento muito parecido com o de tirar uma parte do teu corpo sem anestesia, parece exagero mas é assim que eu me sinto, foi igual quando eu percebi que a mel ( minha gata) não ia mais voltar pra casa, sei que a comparação é tosca mas cheguei a conclusão de que esse sentimento se chama amor, e agente só sabe quando sabemos que não volta mais.

Acho que faria tudo de novo, porque sei que estou diferente, meu corpo não é mais um problema pra mim, me cuido, não cheiro mais a adolescente reprimida...Queria poder mostrar isso só para uma pessoa especifica, mas sei que isso não vai ser possível, Deus sabe como e quando isso vai terminar, ainda faltam alguns anos para passar...

Só queria mesmo dizer que ainda amo, estupidamente amo...e não sei se um dia isso vai mudar, se em dois anos não mudou....Só desejo do fundo do meu coração que seja a pessoa mais feliz do mundo! Te amo!


Gracez

terça-feira, 4 de maio de 2010

(texto antigo tá pessoal mas só agora vou conseguir compartilhar..rs)

Nem sei mais o que pensar, me adaptei a um sistema de sentimentos descartáveis onde não se deve esperar nada extraordinário, se negocia relações onde ninguem sai prejudicado, porem não se cria nada, nennum vínculo!
Confesso que as vezes prefiro fazer parte dessa modernidade líquida, como diria Bauman, pela falta de tempo que tenho, tenho medo de não ser presente e de não dar atenção necessaria para outra pessoa.
Mas as vezes tambem sinto falta dessa certeza de que tenho alguem e que vou poder contar com essa pessoa, certeza de que não estou totalmente sozinha.
Por isso repito, não sei o que pensar, nem o que desejar, enquanto organizo e reorganizo sentimentos e tarefas, permaneço no mesmo lugar, correndo em busca de satisfação que meu trabalho tem me proporcionado.
Minha vida tem sido um conjunto de pensamentos perdidos, decisões postas na mesa, talves tudo mude de direção ou tudo fique no mesmo lugar...No meio de tantas possibilidades, um dia eu acabo achando uma me caiba!

Gracez.